parklet-e-equipe-rocket

A quebra de rotina

Longos períodos de monotonia da rotina. Acorda, vai pro trabalho, almoça, trabalha mais, volta pra casa, dorme. Toca o despertador, tudo de novo. Fim de semana, cadê você?

 

É sério que seu relacionamento com a cidade é só isso? Você trabalha mais horas que o normal? Almoça correndo? A rotina das pessoas nas cidades grandes se tornou, por inúmeras razões, algo como o descrito acima. Todos precisam correr o tempo todo para fugir do trânsito, para dar tempo. É muito estresse.

 

Alguns movimentos nos centros urbanos tomaram forma e saíram do papel. Explorando o real significado de espaço público.  Teatros e cinemas ao ar livre, ciclovias, os novos parklets e outras iniciativas vem dando cor à monotonia das cidades. Estacionando a essência das grandes metrópoles, responsável por boa parte do estresse dos cidadãos. A pressa. Já se perguntou de que forma você se relaciona com a cidade? Você faz as coisas correndo mesmo fora do horário de trabalho? Se as imagens da cidade te parecem muitas vezes um borrão na sua cabeça, talvez seja a hora de aproveita-la e ver outras formas de curtir o espaço.

 

Recentemente, muitos jovens encontraram algo a mais para sair de casa e andar por aí, pra sair da rotina. Eles encontraram isso no aplicativo Pokémon Go. Mas será que eles curtem mesmo e aproveitam a cidade?

 

Para quem não conheceu, Pokémon é uma febre entre as crianças, hoje já grandes, dos anos 90. Através de jogos para o console portátil Gameboy, o jogador controlava criaturas fictícias e batalhava para que evoluíssem. A franquia se estendeu para a realidade aumentada.  Por meio da câmera do próprio celular ou tablet, os jogadores saem para explorar o mapa em busca de pokémons. De maneira literal. Para explorar o mapa o jogador deve, de fato, andar por ele.

 

Ok, mas será que o jogador realmente curtiu a cidade? Será que as pessoas, usando a cidade como plataforma para jogar, usam do espaço público pelo que ele é, local de convívio e interação entre pessoas?

 

Não foi difícil encontrar jogadores vagando por aí, rindo, divertindo-se e curtindo. A primeira vista, as pessoas voltaram a curtir a sua cidade. Isso pode ser legal. Mas o espaço público é palco de algumas das coisas mais antigas e belas da sociedade: o encontro, a conversa, a oportunidade de conhecer coisas e pessoas novas. Enquanto isso, o Pokémon Go construiu mais um sucesso, servindo deste propósito inusitado e não planejado. A respeito do novo jogo, John Grohol, pesquisador há 20 anos do comportamento das pessoas no ambiente online comprovou que sair para fora dos escritórios e dos quartos combate os males dos distúrbios psicológicos causados pelo comportamento de sociabilização enclausurada das redes. O jogo se tornou, sem querer, um motivo real para as pessoas enfrentarem e desbravarem o mundo.

 

Se você segue na onda dos Pokémons, aproveite para ver tudo que a sua cidade oferece. Além de Pokéstops (lugares para reabastecer o estoque de pokébolas para a captura), ela tem muito para ser desfrutada. E lembre-se: quando cansar, você pode sempre sentar num parklet. Ele é um espaço público também e um excelente lugar de encontro em meio ao constante movimento, muitas vezes inusitado, das cidades. Aposto que muitos deles estão recheados de pokémons! O jogo leva de fato os treinadores a saírem e participar dos espaços públicos? Mesmo depois da febre do seu lançamento? Em pouco tempo será cada vez mais comum andarmos por aí pra ver a cidade evoluindo. Então por que não começar agora?

Sem comentários

Postar um comentário